sexta-feira, outubro 29, 2004

tâmara


(pintura de gaetano barba "miraggio")

sim, uma tâmara...
como se navegasse ao mar vermelho,
ancoraria o barco à vela num cais qualquer
por uma tâmara...

(...num bazar dessa cidade oriental
no meio de cheiros e aromas a especiarias,
encontraria todas as tâmaras
para satisfazer o desejo...)

de quantos sabores teus
é feita esta saudade intensa ?
uma tâmara...e muitos mais !
mas eu não sei, neste momento...

(...num bazar dessa cidade oriental
deixo-me levar, entre todos os ritmos dos sons,
danças do ventre até o sol nascer, mesmo à minha frente...
e sei que estás mais perto...)

ruiluis

quinta-feira, outubro 21, 2004

escuridão

(pintura de nicoletta tomas "amantes")

gosto da escuridão
e neste silêncio que me sorri
respiro-te em cada poro da pele...
ai, tuas imagens são luminosas

tenho ainda o acido sabor
ao som de grilos em sintonia
das terras humidas e é de noite...
aromas teus invadem este ar

gemidos ao luar
como toques, como caricias na pele
como o despejar do sémen no corpo...
dos desejos madrugadores

somente a lua nos ilumina
neste nosso hedonismo
de corpos exaustos, côr purpura...
e faz lá fora os cães uivar

ruiluis

segunda-feira, outubro 18, 2004

tempestade


(pintura de vincent van gogh "fields under a stormy sky")


com o vento, a chuva
minha alma da cor das nuvens
o trigo do campo
roça-me o corpo com a tempestade

é outono e não sinto frio
sou agora a colheita, o fruto do tempo
e abro meus braços sem cansaço
saudando o dia vagaroso

a poeira da terra de sabor eterno
muda a côr rubi dos lábios
encobrindo a paisagem turvada
dos olhos abertos, que fitam a imensidade

de repente, o respirar quebra o silêncio
e o todo se transforma bulíçoso
minha alma da côr das nuvens
em tempestade, saudando o dia...

ruiluis

sexta-feira, outubro 15, 2004

hoje

(pintura de henri matisse "jazz: icarus")



hoje, o encanto apagou-se,
numa beata carregada pelos dedos
num cinzeiro cheio
(..."deixar de fumar reduz os riscos...",
leio-te e penso-te...
no fim tudo se torna tão banal como começou...)

hoje, o encanto desfez-se,
de baixo dum arco-iris em pleno outono,
depois da chuva quando o sol aparece de novo
(...até parecia um desnorteado, com o cigarro na mão,
à prócura da maquina fotográfica para tirar uma foto
a nós os dois, de baixo daquele arco...)

hoje, em mais um dia de sol de outono
o encanto deixou de existir,
de baixo do arco-iris, sem ti...

alexander ibis

sábado, outubro 09, 2004

permanente


(pintura de nicoletta tomas "amantes")

permaneço no tempo
não-me importa quanto tempo mais...
enquanto permaneço,
o grito perserva-se
em todas as letras, em todas as palavras
que lês de mim...

homem...grito...permanecendo
penetrando "espaços"
salpicando "emoções"
espalhando "sentimentos"
recolhendo "essências"
misturando-as...
"alegrias"
"tristezas"
? am(dor) ?
? am(d)or ?

um grito...amor !

sim...quero-o simples
como um beijo que nos seduz
e deixa nossos corpos
sedentos de loucura

sim...quero-o simples
como as nossas mãos
que nos despem e nos tocam
em nossos corpos arrepiados

sim...quero-o simples
como o leve penetrar da lingua
no teu sexo de sabores
e aromas do prazer

sim...quero-o simples
como o nosso demorado orgasmo...
volúpia de gemidos
leves e prelongados num abraço

grito !

em todas as letras, em todas as palavras que lês de mim...
simples, ao vento que me sopra na pele...

ruiluis

passo a passo

(pintura de josé julio de andrade santos "paisagem")



passo a passo
aproximo-me da tua rua...
vejo tua luz acesa
e a janela que me fechaste

passo a passo
paro meu andar pesado
e como uma estátua inerte...
sei que não sou, que em ti estou

tu apareces na janela
presencias meu gesto com a mão
que te sauda e te diz adeus
para mais um desfalecer nesta noite

passo a passo
retiro-me e sou alma que morreu,
um vulto a cair no chão
numa rua mal iluminada...


alexander ibis





quarta-feira, outubro 06, 2004

é cedo...

(pintura de claude monet "papoilas")

é cedo para te dizer,
(ao despertar de manhã, estavas deitada
ao meu lado e vi, pelos cortinados azuis escuros que evitaram, o sol
a raiar e a querer invadir o quarto de claridade...)

é cedo para te falar,
(tentei não te tocar, mas a boca não obedeceu à nudez do teu ombro
destapado...)

é cedo para te contar,
(nesta manhã, as papoilas no campo desabrocharam e as cores vermelhas
das pétalas salientam-se na verde paisagem do nosso amor...)

é cedo, e por ser assim,
espero o teu despertar
que não irá tardar...

ruiluis

sexta-feira, outubro 01, 2004

agradecimento

agradeço-vos toda a atenção prestada neste conteúdo que coloquei aqui...
por motivos pessoais, não editarei mais neste blog.

que o sol deste outono 2004 vos brilhe na alma...para sempre !

ruiluis