quarta-feira, janeiro 05, 2005

por vezes e assim

por vezes e assim deitados,
sentia-me uma cidade
com os teus seios
a erguerem-se sobre mim
como duas luas numa noite
que nascia dos nossos corpos

duas luas no céu
das minhas mãos
redondas, macias, mornas
de veias como rios da alma
numa suavidade que acalmava
até aos beijos do amanhecer

por vezes e assim deitados,
nascia o sol sobre a cidade
para um novo dia
em que o nosso acordar sorridento
mais parecia um mar de imensa calma
e tranquilidade final...

ruiluis
Enviar um comentário