domingo, dezembro 26, 2004

um poema de amor

não fui eu que morri ao deixar...
disse-te
amo-te, amo-te
para sempre

morri-te nas palavras apagadas pelo chão de inverno...
amo-te, amo-te
disse-te
para sempre

nos silêncios quentes e neutros, morreste-me nas mãos...
para sempre
disse-te
amo-te, amo-te

disse-te
amo-te, amo-te
para sempre
não foste tu que morreste quando deixei...


ruiluis (baseado na canção dos r.e.m. "leaving new york")
Enviar um comentário