quinta-feira, novembro 18, 2004

pétala

vi-te passar por mim
pétala de rosa
redopiavas no ar
em mil e uma volta que davas

um vento desconhecido
soprava-te para longe
sem destino nem fim
livremente ao acaso

vi-te seguir para além
pétala de rosa
num céu de monotonia azul
acompanhando o teu caminho

fiquei quieto,
secou-se a garganta
e a lágrima também...

alexander ibis
Enviar um comentário